Total de visualizações de página

sábado, 25 de dezembro de 2010

SEM SAIDA

Quando eu finalmente consigo me encontrar,
Você aparece, não sei de onde...
E eu me perco totalmente no teu olhar.
Eu tento inutilmente encontrar saída...
Mas me entrego sem recursos...
Me entrego totalmente aos teus mistérios...
Aos teus grandes encantos de mulher.

Quando eu finalmente consigo te encontrar.
Você desaparece, não sei pra onde...
E eu sinto a tua falta na minha alma.
Essa falta me esvazia por inteiro.
E do mais longínquo vazio do meu ser,
Eu tento inutilmente encontrar saída.
Eu me vejo obrigado a refazer meu nada.

Quando eu finalmente encontro na vida,
uma nova razão para a minha existência.
Compreendo que somente uma magia forte
poderia abrir meu coração que era tão fechado.
No espelho eu percebo um completo estranho,
Chegada é a hora de enterrar minha ideia morta.
A ideia de querer rolar contigo uma última vez.

Quando enfim eu mentalizo em mim um novo ser
Eu aceito que é demais tardio para compreender.
Eu me vejo condenado a sonhar lembranças.
Eu tento inutilmente encontrar saída.
O meu sonho ardente torna-se o meu pesadelo.
No entanto, eu me entrego sem recursos
Ao sonho mais cruel de todos...
Jamais consegui desvendar os teus mistérios...
Mas você não pode mais fugir da minha mente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário